terça-feira, dezembro 14

Meteoros

Chuva de meteoros que invade a Terra



Ao entrar na atmosfera, eles se aquecem com o atrito do ar parecendo um risco brilhante no céu. A maioria deles se decompõe antes de chegar ao solo.

    Está acontecendo uma das mais intensas chuvas de meteoros, a chamada Geminídeos, desde segunda-feira (13). Ela pode ser vista a olho nu de qualquer lugar da Terra, de preferência distante da iluminação artificial, até quinta-feira (16). Porém, o céu nublado está impedindo a visualização? Não se preocupe, a agência espacial americana, a Nasa, disponibiliza uma transmissão do céu ao vivo pela internet, durante 24 horas. No vídeo, é possível avistar ao menos uma "estrela cadente" por minuto. Veja a transmissão aqui.
   A câmera responsável pelas imagens está instalada no Centro de Vôos Espaciais Marshall da NASA, no estado do Alabama, Estados Unidos. Durante o dia, no horário local, ela é desligada- a tela aparece preta ou preenchida pelo logotipo da agência espacial. No entanto, mesmo com a câmera inativa, é possível ouvir o áudio dos meteoros se chocando com a Terra. Durante a noite, no Alabama, a câmera se liga automaticamente e mostra o céu estrelado com a queda dos meteoros.
O período mais intenso do espetáculo é na madrugada de terça-feira. Segundo a Nasa, são esperados de 50 até 80 meteoros por hora - no pico poderão chegar a 120 por hora.
Geminídeos
Esses meteoros receberam o nome Geminídeos porque parecem vir da constelação de Gêmeos. De acordo com a agência espacial americana, provavelmente, eles são restos do objeto intitulado 3200 Phaethon - classificado como um cometa extinto.
Por Isis Nóbile Diniz, da Redação Yahoo! Brasil

segunda-feira, dezembro 6


Pesquisadores vestidos de panda 

cuidam de filhotes na China


Objetivo é introduzir o animal criado em cativeiro na natureza.
Centro de conservação fica na província de Sichuan.
Pesquisadores vestidos como pandas medem a temperatura de um filhote de quatro meses. O animal é monitorado no Centro Hetaoping de Pesquisa e Conservação do Panda Gigante, localizado na província de Sichuan, no centro do país. As imagens foram registradas no dia 3 de dezembro. (Foto: Stringer / Reuters)

O filhote de panda é o primeiro do Centro a ser treinado para ser introduzido de volta na natureza. Dentro das dependências, ele é monitorado por câmeras escondidas. Já na floresta, ele é levado dentro de uma caixa pelos funcionários do espaço de conservação. (Foto: Stringer / Reuters)

O objetivo dos cientistas é o de deixar o filhote confortável no meio ambiente, sem notar a presença de humanos. (Foto: Stringer / Reuters)
Fonte:G1

quinta-feira, dezembro 2

Cartão de Natal ecológico

Cartão de Natal Ecológico

     O Natal está se aproximando e junto com os presentes nós também adoramos receber cartões, não é? Às vezes um cartão criativo e bem escrito vale mais do que qualquer presente e acaba entrando para o nosso baú de melhores lembranças.

    O site Postcarden (http://www.postcarden.com/) lançou um cartão ecológico e primeira vista ele parece ser um cartão de Natal como outro qualquer, mas com o passar do tempo ele vai ficando cada vez mais interessante, com as plantinhas que vão tomando conta do espaço em branco.
Fonte:Blog Econexos e Ecomeninas

sexta-feira, novembro 19

Star Size Comparison HD (ptbr.subtitles) Legendado

                            Comparando o tamanho dos planetas
                                    (Coloque em tela cheia!)

terça-feira, novembro 16

sexta-feira, novembro 12

Poesia Cerrado


Casca de uma árvore do Cerrado 

    Poesia

Os fazedores de desertos
se aproximam
e os cerrados de despedem
da paisagem brasileira

Uma casca grossa
envolve meu coração

Nicolas Behr








Flor Caliandra


...Mas da próxima vez
que eu for a Brasília 
Eu trago uma flor do cerrado 
pra você.

Caetano Veloso

terça-feira, novembro 2

Vegetação do Cerrado renasce

Vegetação do Cerrado renasce
A capacidade de se renovar, mesmo depois de incêndios, é uma peculiaridade das espécies locais. As raízes alcançam grandes profundidades no solo

      As marcas deixadas nas matas do Distrito Federal durante quatro meses sem chuva finalmente começam a ser amenizadas. Como um remédio há muito aguardado, a água chegou discreta, e aos poucos nutre as folhas que brotam dos galhos retorcidos e lava as cinzas das árvores atingidas pelo fogo. O verde vivo das plantas rasteiras colore a paisagem cinzenta a cada pancada de chuva que molha o solo seco castigado pelo sol.
        A tradicional seca vivida todos os anos pelos habitantes do Planalto Central não costuma afetar as árvores retorcidas do cerrado, que estendem até as mais distantes profundezas suas raízes em busca de todos os nutrientes que a terra possa lhes oferecer. Esse efeito cria uma espécie de floresta invertida, que pode parecer abalada na superfície, mas esconde uma extensão ainda maior no subsolo, cheia de vida e aguardando pacientemente pela chegada das chuvas.

quarta-feira, outubro 13

Sacolas retornáveis


A utilização de sua própria sacola para compras pode contribuir para a diminuição do descarte de mais de 1 bilhão de sacolas plásticas por mês no Brasil.
Assim, poderemos ajudar o mundo a reduzir a poluição gerada por essa enorme quantidade de plástico produzida e descartada todos os dias, e que representa centenas de anos na natureza para decomposição!
Dê preferência às sacolas biodegradáveis e retornáveis, práticas e de fácil manutenção.

Uma nova consciência nasce de novas atitudes.

Passe a diante essa idéia.

terça-feira, outubro 5

sacolas plásticas

Recicle suas ideias sobre as 
sacolas plásticas

Os sacos plásticos apesar de úteis, causam uma tremenda poluição ao meio ambiente. Isso porque eles são  difícies de serem degradados, podendo levar cerca de 400 anos para desaparecer completamente.

     Mas o maior problema é o destino final que damos a esses saquinhos plásticos. Eles sempre acabam nos aterros sanitários ou nos rios e oceanos quando o esgoto é jogado sem tratamento.

Nos aterros sanitários e mesmo lixões à céu aberto, os sacos plásticos dificultam e impedem a decomposição de materiais orgânicos e/ou biodegradáveis. Além disso, comprometem a capacidade do aterro, deixam o terreno muito impermeável e instável para uma boa adequação dos resíduos.

     Já no mar, o saco plástico além de poluir visualmente, e diminuir a qualidade da água, provoca asfixias em animais marinhos. Baleias, tartarugas e golfinhos podem confundir algas e águas-vivas com os sacos plásticos e acabarem sufocadas, o que as leva à morte. O caso mais dramático ocorreu em 2002, quando uma baleia anã deu à costa da Normandia com cerca de 800 kg de sacos de plástico  no estômago. 



Problemas Ambientais


- sacos plásticos ajudam a entupir bueiros o que provoca inundações nas cidades;
- sacos plásticos vão parar em rios, lagos e oceanos, o que provoca mortes por inanição de animais aquáticos;
sacos plásticos aumentam o volume total do lixo que vai parar nos aterros e lixões, diminuindo a vida útil destes. Além disso, sua propriedade impermeabilizante atrapalha a decomposição dos resíduos;
- sacos plásticos podem levar mais de 400 anos para sumir totalmente da natureza (quando nossos tataranetos nascerem eles ainda vão estar presentes na natureza);
- sacos plásticos são feitos a partir do petróleo – um combustível não renovável – e poluente;
- sacos plásticos são muito leves, e podem sair voando por aí, e causar outros tipos de poluição;



tv016.gif (8229 bytes)
Quem dispensa a sacola plástica pode usar caixas preferenciais numa rede de supermercados. Segundo o diretor do Instituto Nacional do Plástico, foram economizadas cerca de 3,9 bilhões de sacolinhas. 

Veja reportagem do Jornal Nacional: Clique aqui!







domingo, outubro 3

Democracia

Democracia na língua da meninada

      Há muitos e muitos anos, nasceram duas crianças. Uma recebeu o nome de Demo. A outra se chamou Cracia. Ambas eram Gregas. Na língua delas, os dois nomes têm um significado. Demo quer dizer povo. Cracia, governo. O tempo passou. Um dia, Demo encontrou Cracia. Eles sorriram um para o outro. Conversaram. Paqueraram. E não deu outra. Casaram-se. Juntos, viraram o casal Democracia.
      Eles tiveram muitos filhos. Os filhos lhes deram um montão de netos. Os netos os presentearam com uma infinidade de bisnetos. A família ficou enorme. Quando todos estavam reunidos, podiam encher a catedral. O clã tinha um jeito especial de viver. Em casa, ninguém brigava. Os sabidos faziam eleição para tudo. A sobremesa seria pudim ou sorvete? Todos votavam. Ganhava a maioria. A meninada ia à piscina ou ao parque? O voto decidia.
     A moda pegou. Muitos países copiaram o exemplo. Se alguém quer ser senador, deputado, vereador, prefeito, governador ou presidente, tem de participar da eleição. O povo vota. Ganha quem tiver a preferência de mais gente. É a democracia - o governo do povão. Viva!

Dad Squarisi.


Fonte: Jornal Correio Braziliense em 03/04/10