terça-feira, maio 11

Planetário Móvel Tatanka




Nunca ninguém viu o Universo assim!
   Ao olharmos para o céu, numa noite escura e sem nuvens, estamos repetindo o mesmo gesto que vários seres humanos fizeram no passado e que resultou em muito do que sabemos hoje sobre o Universo.
   Infelizmente, cada vez mais diminui o número de pessoas que têm a oportunidade de se encantar com o céu noturno e a natureza. Não seria exagero afirmar que parte do desinteresse científico que observamos nos jovens, parte da ausência desse tipo de experiência.
   O Planetário Móvel Tatanka convida você para participar deste fascínio que o céu desperta e entender o lugar da relação do homem com os fenômenos do Universo.
               Professores Josué e Luís Edvar

     Professores Josué e Luís Edvar com Marcos Pontes

Vamos pesquisar?



Mas atençãaao! 

Plutão não é mais considerado um planeta.
Vamos descobrir porquê?


Porque Plutão não é mais um planeta?

   De fato Plutão não é mais considerado um planeta, ele agora pertence a uma categoria denominada "Planeta Anão". Para entender porque isto aconteceu vamos contar um pouquinho de história:
   Em 1930 o astrônomo americano Clyde Tombaugh descobriu um corpo no céu, era apenas um pequeno ponto, mas ao calcular a sua órbita percebeu que ele tinha uma órbita mais afastada que Netuno, seria o nono planeta, este corpo celeste foi batizado de Plutão. No início chegou-se a estimar que Plutão poderia ser maior que o planeta Terra, mas medições posteriores mostraram que ele na verdade seria bem menor que a nossa Lua. Já nos anos 70 alguns astrônomos começaram a propor a idéia de que Plutão não seria de fato um planeta, pois além de pequeno e pouco massivo, sua órbita era muito achatada e inclinada em comparação aos outros planetas.
   Mas no fim da década foi descoberta um satélite de Plutão, que foi batizado de Caronte, o que dava argumentos para os defensores de Plutão como um planeta. Apenas na década de 1990 foi descoberto outro objeto trans-netuniano. Mas nos anos seguintes com a construção de telescópios avançados, o número destes objetos cresceu rapidamente, e alguns deles eram quase tão grandes quanto Plutão (Sedna, Varuna, Quaoar, etc.). Então em 2005 foi divulgado que   um destes objetos, posteriormente batizado de Eris era maior que Plutão.
   Então chegou-se a um impasse: Se Plutão era um planeta, Eris (que é maior) também deveria ser. Finalmente em 2006 houve uma reunião da IAU (União internacional da astronomia) e em uma votação histórica a assembéia da IAU decidiu que Plutão deixaria de ser um planeta. Ele, Ceres e Eris foram denominados planetas anões.
   Como um comentário vale acrescentar o seguinte: Se Plutão fosse descoberto hoje ele nunca seria classificado como planeta. A descoberta de Tombaugh foi um feito incrível, demoraram mais de 60 anos para outro objeto celeste ser descoberto nas mesmas circunstâncias. Plutão é pequeno demais e leve demais para ser um planeta.

3 comentários:

Anônimo disse...

essa reportagem do planetario foi otima..... teve muitas informacoes legais.achei uma das melhores!
milena moreira 6a

Prof. Lu disse...

Oi Milena, na quinta-feira você vai conhecer...é muuuito legal!

Anônimo disse...

Adorei o post (;
Muito interessante , e repara-se qe o sr.prof. Lu tem muita informação ! Parabéns , post incrivel !

Jéssica Vieira , Portugal (:

Postar um comentário